Cárdio Pulmonar

Categoria: Hospital Privado (Pequeno e Médio Porte)

Critério: Inovação

Na sequência do projeto de Acreditação, o Hospital Cárdio Pulmonar - HCP passou pela Auditoria Educativa em setembro 2016, realizada pelo CBA – Consórcio Brasileiro de Acreditação, instituição que representa a JCI – Joint Commission International no Brasil, com excelentes resultados – 93,80% de conformidade com os elementos de mensuração avaliados, o que já conferiria a Certificação ao HCP. Além da metodologia da Acreditação, e como elemento de consolidação da Cultura de Segurança, foi mantida a integração com a Rede Sentinela da ANVISA, permitindo à instituição capacitar seus profissionais e colaborar com o gerenciamento de risco no segmento de saúde do país. Durante o ano, foi finalizado o primeiro ciclo do programa de aprimoramento de processos com Metodologia Lean Six Sigma, em parceria com o IICG-HIAE (Instituto Israelita de Consultoria e Gestão do Hospital Albert Einstein), com 05 projetos: Redução do tempo médio de permanência da internação hospitalar, Redução do tempo de permanência na emergência, Redução do tempo de espera no Centro Médico, Aumento de Performance de Faturamento de contas, Desenho de Fluxo do Setor de Suprimentos. Esta metodologia tem como fundamentos a melhoria contínua de processos e a eficiência operacional. Dessa forma foram possíveis significativos ganhos em otimização do cuidado aos pacientes, aumentando qualidade, satisfação e segurança, agregando valor ao serviço, além de redução de desperdícios, elevando a eficiência operacional da instituição. Permaneceu também ativa a Inteligência de Negócios (BI) e a Gestão Estratégica de Indicadores, contribuindo significativamente no processo decisório e impulsionando o desempenho e assertividade da organização. Dando continuidade ao plano de disseminação da cultura Cárdio Pulmonar, o Projeto Integrar entrou no seu segundo ano, mantendo a premissa de partilhar, com todas categorias profissionais, informações atualizadas sobre o processo de gestão, os projetos institucionais e a cultura organizacional. Os encontros, realizados entre os integrantes e a superintendente, cobriram todo o quadro de colaboradores da instituição, engajando a todos nos rumos delineados no Planejamento Estratégico. Ainda no âmbito da Gestão de Pessoas, pelo segundo ano consecutivo utilizamos a ferramenta de Avaliação de Desempenho por Competência, com feedback que instrumentaliza os gestores com a cultura coach, fornecendo a prática do orientar, treinar, desenvolver e motivar os integrantes. Ao longo de 2016, diversos serviços foram reestruturados e integrados para consolidação do Modelo de Assistência Multidisciplinar Centrado no Paciente. Uma comissão específica foi criada para tratar do tema e foi produzida a Cartilha de Direitos e Deveres dos Pacientes e Familiares, fortalecendo uma relação de confiança, baseada no respeito mútuo e na transparência. Neste ano, o HCP instituiu o seu Comitê de Ética Institucional para discutir situações e temas que se configuram como dilemas éticos presentes nos diversos relacionamentos que a instituição e seus profissionais estabelecem nas suas atividades laborais. Este comitê gera pareceres com diretrizes que deverão nortear a instituição e sua equipe a melhor se estruturar e lidar com tais conflitos. Ainda no sentido de promover uma assistência comprometida com a verdade e a ética, o HCP realizou dois processos de “Disclosure”, uma ação pioneira no Estado, que consiste em revelar para o paciente o dano ocorrido, suas causas e ações de melhoria, assumindo as responsabilidades da instituição no evento. Estes processos foram vitais para fortalecer a relação de transparência e confiabilidade com os clientes. No campo do relacionamento entre médicos e instituição, foi implantado o Projeto de Procedimento Gerenciado Cirúrgico Particular, destinado aos médicos parceiros, objetivando maior previsibilidade e transparência dos valores praticados na instituição.

Critério: Credibilidade / Assistência

O tratamento do Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) e do Acidente Vascular Cerebral (AVC) requer atuação coordenada de múltiplos profissionais para que as artérias ocluídas no coração e no cérebro, respectivamente, sejam abertas o mais rápido possível. As diretrizes internacionais recomendam que isso se dê em < 90 min para o IAM e em < de 60 min para o AVC. O HCP vem reduzindo esses tempos progressivamente ao longo dos anos, atingindo em 2017 suas melhores médias anuais desde 2011 - um tempo porta-balão para o IAM de 72 minutos e um tempo porta-agulha no AVC de 38 minutos. Uma parceria inovadora com a Vitalmed, maior serviço de assistência pré-hospitalar do estado, promoveu a integração da assistência pré-hospitalar e hospitalar dos pacientes com IAM e AVC. Essa integração resulta em reconhecimento, transporte e tratamento mais precoce e efetivo desses pacientes, contribuindo para a melhora nos tempos de tratamento. Além dos protocolos de reperfusão para o IAM e AVC, estão implantados e gerenciados os protocolos de Pneumonia, Sepse, Prevenção de Tromboembolismo Venoso e Insuficiência Cardíaca Descompensada. Única instituição da Bahia que desenvolve um Programa de Cirurgia Cardíaca Minimamente Invasiva, o HCP realizou, em 2016, 40% de seus procedimentos utilizando essa técnica inovadora. Entre outros benefícios, os pacientes submetidos a cirurgias cardíacas minimamente invasivas permaneceram em média 3 dias a menos no hospital, quando comparados à cirurgia convencional. Além disso, o HCP desenvolve um programa multidisciplinar de tratamento não-cirúrgico de doenças estruturais do coração envolvendo cardiologistas, intervencionistas, especialistas em imagem, anestesiologistas, enfermagem e cirurgiões cardiovasculares. Desde o início do programa, a equipe já realizou múltiplos procedimentos para correção de defeitos congênitos, implantes transcateter de prótese aórtica (TAVI) e a primeira correção percutânea bem sucedida, na Bahia, da insuficiência mitral (MitraClip®). Foi criado também o Núcleo de Melhoria de Qualidade com o objetivo de desenvolver projetos de promoção da eficiência operacional. Três projetos focados em pacientes com insuficiência cardíaca, pneumonia e AVC resultaram em uma redução média de 2 dias no tempo de permanência hospitalar e, aproximadamente, 20% nos custos diretos. O Centro de Estudos em Cardiologia (CEC) do HCP continua a ampliar o seu número de participações em projetos de pesquisas multicêntricas internacionais, além de produzir estudos científicos na instituição que resultaram em mais de 20 publicações e apresentações em congressos. As ações de prevenção do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar, em 2016, resultaram em redução da taxa global de infecção para 1,3%; redução da taxa de infecção associada a cateter venoso central de 5,5 para 2,6 infecções/1000 CVC-dia e aumento na taxa de adesão à higienização das mãos - pilar fundamental no controle de infecção e prioridade institucional - de 68% para 79%.  Na área de relacionamento com cliente, foi introduzida nas Pesquisas de Satisfação dos Clientes a metodologia de NPS - Net Promote Score, atingindo o nível de qualidade em todos os setores da organização. Ainda no sentido da busca da Eficiência Operacional, reestruturou-se a Central de Autorização, através do gerenciamento de processos, identificação dos gaps e atuação na sua causa raiz, melhorando a capacidade de gerir cada etapa do processo. Com ações mais ágeis, precisas e pró-ativas utilizou-se a gestão da informação como vantagem competitiva, possibilitando um maior respaldo nas negociações com as operadoras e efetiva redução dos tempos médios das autorizações (TMA), redução em 20% do tempo para as solicitações de cirurgias eletivas (com OPME). Dessa forma, foram potencializados benefícios e garantiu-se um melhor desempenho dos resultados.

Critério: Novos investimentos

Seguindo o plano de expansão operacional iniciado em 2011, foi realizada a demolição do antigo prédio hospitalar, as reformas necessárias para a adequação do hospital de transição e foram iniciadas as obras do novo complexo de três edifícios que comporão o novo Hospital Cardio Pulmonar de 200 leitos. Vale salientar que o “hospital de transição” é a estrutura que atualmente mantém o atendimento aos clientes, de forma isolada da obra, sem qualquer impacto na qualidade e segurança da assistência prestada ao cliente. Outro investimento relevante deu-se no serviço de Cirurgia Bariátrica que permanece em crescimento e, ainda em 2016, iniciou um programa global de assistência ao paciente obeso, com atuação multidisciplinar ambulatorial e hospitalar.

Critério: Visibilidade de mercado

VISIBILIDADE Durante o ano, grande parte das ações de comunicação convergiram para a divulgação em mídias sociais. A página oficial do Facebook passou de 3400 seguidores para 8100 no intervalo de janeiro a dezembro de 2016, com crescimento integralmente orgânico. Em julho, foi criado o perfil comercial do Instagram, integrado ao Facebook. Além das peças institucionais, comemorativas e educativas, deu-se continuidade à Campanha “O Cárdio Pulmonar tem” que permitiu a divulgação destacada da Neurologia, do Programa de Cirurgia Cardíaca Minimamente Invasiva e o Programa de Cirurgia Bariátrica. Estas campanhas também utilizam mídias internas que atingem tanto o cliente em circulação, quanto a comunidade médica. A incursão em mídia externa foi escolhida para noticiar o projeto CP 200, por ocasião da demolição do prédio hospitalar antigo e o funcionamento do hospital de transição, que marca o início das obras do prédio hospitalar totalmente remodelado para 2018. Uma iniciativa diferenciada sensibilizou pacientes no Dia do Cliente. Esta ação, promovida pela Gerência de Hotelaria e Atendimento, contou com a interação de mágicos, mímico e musicistas homenageando os clientes pelo seu dia. A ação foi filmada e compartilhada na mídia social com o tema “Por você somos mais”. Em março, realizamos o 1º Simpósio de Urgências e Emergências Clínicas, destinado à capacitação de médicos e estudantes de Medicina na vivência do pronto atendimento. Em outubro, o Cárdio Pulmonar realizou o I Workshop de Doenças Cérebro Vasculares reunindo cerca de 200 participantes, entre médicos, outros profissionais de saúde e estudantes de Medicina. Neste mesmo mês, dando foco à especialidade de Neurologia e às campanhas de prevenção, foi lançada a Campanha “Todas as cores pelo AVC”, ressaltando a importância do reconhecimento dos sintomas, a importância da intervenção precoce e especializada para redução dos danos e da mortalidade. Dando continuidade ao trabalho de relacionamento com a imprensa, obtivemos cerca de 120 aparições na mídia, representando um aumento de mais de 50% em relação ao ano anterior. O Hospital foi novamente contemplado com o primeiro lugar na categoria Hospital de Pequeno e Médio Porte no Prêmio Benchmarking 2016. Adicionalmente, nossa superintendente, Iolanda Peltier foi também vencedora na categoria Executivo do Ano. Em reconhecimento ao porte dos investimentos realizados pela instituição fomos vencedores da categoria Cases de Sucesso da 1ª edição da premiação “Líderes Norte e Nordeste em Saúde”.